Guarapuava sediará encontro internacional com perspectiva de equidade de gênero

Evento integrará as ações dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência de gênero. Inscrições seguem disponíveis

Com o intuito de fortalecer e ampliar o debate sobre igualdade de gênero em Guarapuava, a Universidade Estadual do Centro Oeste (Unicentro) sediará nos dias cinco e seis de dezembro o 1º Encontro de Cidades com Perspectiva de Equidade de Gênero. O evento integrará as ações da Campanha dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência de gênero, realizado anualmente na cidade a partir de 20 de novembro.

Encontro ocorrerá nos dias 5 e 6 de dezembro, em Guarapuava (Foto: Divulgação)

De acordo com Ariane Pereira, vice-líder do Grupo de Pesquisas Conversas Latinas em Comunicação (CLC) e professora do curso de jornalismo da Unicentro, o Encontro ocorrerá como evento paralelo ao CLC, que nesse ano tem como tema “Comunicação numa perspectiva de equidade de gênero”. Ainda segundo Ariane, a escolha da temática foi definida a partir de dois pontos específicos.

“O primeiro deles é o trabalho que um grupo de professoras, egressas e estudantes vem desenvolvendo no projeto de extensão Florescer, que sou proponente e coordenadora, que utiliza a comunicação para o combate a violência contra a mulher, desde 2016, sempre em parceria com a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres de Guarapuava. Então, unimos o grupo de pesquisa, o projeto de extensão e em parceria com a SMPPM propusemos o Encontro como uma das atividades pelos 16 dias de ativismo pelo fim da violência de gênero. Temática super importante num contexto em que os direitos sociais, sobretudo da mulher, estão sendo questionados”, ponderou a professora.

Dentro da programação, palestras com representantes internacionais que atuam na perspectiva do tema na América Latina estão confirmados. No primeiro dia de atividades (5), a palestrante será “a pesquisadora Mitzy Flores, integrante do Conselho de Administração do Instituto Internacional para a Educação Superior na América Latina e no Caribe (Iesalc), um dos braços da Organização das Nações Unidas (ONU). Ela falará sobre o papel da universidade e da pesquisa na promoção/construção de uma sociedade mais equinaneme do ponto de vista do gênero”, explica a professora.

Já na quinta feira (6), a palestra ficará por conta da coordenadora da mulher da Justiça Eleitoral da Bolívia, Rosario Ricaldi. Segundo Ariane, “ela vem falar sobre a experiência boliviana na construção, aprovação e execução de uma lei eleitoral que é considerada a segunda melhor do mundo, pela Organização das Nações Unidas (ONU), do ponto de vista da equidade de gêneros”.

Além das palestras, o 1º Encontro de Cidades contará ainda com duas tardes voltadas a apresentação e disseminação de trabalhos de pesquisa e de relatos de experiência que discutam, de algum modo, a temática de gênero.

Para isso, as inscrições seguem abertas. Os interessados em enviar trabalhos podem realizar a submissão das pesquisas até o próximo dia 20, por meio do site do evento. O encontro recebe, também, inscrições para ouvintes. Nesta modalidade, o prazo de inscrição é maior e segue até 1º de dezembro. O custo das inscrições é de R$ 30 para autores e R$ 15 para ouvintes.

Segundo Ariane, o evento é aberto a toda a comunidade disposta a discutir a igualdade de gênero.

Todas as pessoas de Guarapuava e região estão convidadas a participar das discussões. Gostaríamos de contar, sobretudo, com a presença dos membros das Redes Municipais de Enfrentamento a Violência contra a Mulher, dos Conselhos Municipais das Mulheres, empresários, gestores e legisladores municipais. Afinal, são exemplos que podem ajudar na construção na nossa região de políticas igualitárias de participação seja no mercado de trabalho, na política, nos fazeres domésticos.

Relacionadas

PROGRAME-SE

'Trenzinho da Luz' oferece passeio gratuito pela 'Cidade dos Lagos'

MORADIA

Famílias recebem casa própria em Santa Maria do Oeste

CANDÓI

Manifestação pede que lei contra maus tratos de animais seja cumprida

Comentários