Guarapuava tem registro de uma das maiores descargas atmosféricas: potência de 352 kA

Guarapuava – O verão não é só a estação de sol e calor, é também a mais chuvosa. Nessa época é comum a ocorrência de tempestades; chuvas com ventos fortes e raios, queda de galhos e árvores na rede de transmissão de energia.
Nestas condições, podem ocorrer desligamentos acidentais, seja por defeito em equipamentos ou mesmo para a proteção de todo o sistema elétrico.
É preciso estar atento não só para proteger-se na hora das tempestades, mas também aos aparelhos eletro-eletrônicos, porquê as sobretensões na rede, provocadas por raios, podem incidir diretamente nas instalações dos consumidores por meio da rede de energia ou penetrar por outras vias que não elétrica (telefonia, antenas de TV, TV a cabo, etc.).
Segundo o Gerente Regional de Serviços da Companhia Força e Luz do Oeste, Dalessandro Luis Maffei, nestas condições, uma boa medida é instalar dispositivos de proteção no quadro de entrada de energia elétrica. No caso de equipamentos mais sensíveis, é recomendável a proteção por dispositivos instalados nas próprias tomadas de alimentação, como estabilizadores ou filtros de corrente.
O gerente orienta ainda, para que o consumidor, desconecte das tomadas todos os aparelhos eletrônicos e fios de antenas. Evitar também ligar aparelhos ou motores elétricos, para não queimá-los e, não usar telefone fixo.
Se você estiver fora de casa, evite contato com cercas de arame, grades, tubos metálicos, linhas telefônicas e de rede de energia elétrica. Ficar sempre afastado de veículos como motos, bicicletas, tratores, carroças ou máquinas agrícolas, além é claro, de áreas descampadas, pastos, campos de futebol, piscinas, lagoas, praias, árvores isoladas, postes, mastros e locais elevados.
Em casos de desligamentos acidentais, ocasionados pelas descargas atmosféricas, a CFLO desloca equipes de manutenção para o restabelecimento pais rápido possível do serviço, para que todos desfrutem do conforto da energia elétrica sem os transtornos que os desligamentos causam, quer aos clientes, quer à próprio CFLO.

Volume de chuvas
De acordo com o Instituto Tecnológico Simepar (órgão oficial do Governo do Estado do Paraná) no período de 01/01 a 26/01, em Guarapuava, choveu 147,8 mm. O dia em que foi registrado o maior volume de chuva foi 15/01 com 47.4 mm.

Descargas Atmosféricas
A quantidade de descargas atmosféricas no ultimo trimestre (out, nov e dez/08) comparado com o mesmo período de 2007, praticamente triplicou, um aumento de 292.12%
O mês mais crítico em Guarapuava foi outubro de 2008, foram 12 mil 085 descargas detectadas na área da CFLO.
Para se ter uma idéia, a intensidade registrada também é uma das maiores das áreas atendidas pelas empresas do Grupo REDE Energia, atingindo 352kA.

Da assessoria

Relacionadas

FOI PRA CADEIA

Choque apreende produtos furtados e prende mulher por receptação

SEGURANÇA

PM registra redução de furtos e roubos em Guarapuava

PREVENÇÃO DE ACIDENTES

Obras no acesso ao bairro Xarquinho devem evitar acidentes na BR-277

Comentários