Hospital Regional de Guarapuava começou a atender nesta quarta (22)

Desde hoje as 20 vagas da UTI e os outros 60 leitos de enfermaria do Hospital Regional já estão incluídos na Central de Regulação do Estado

Hospital Regional de Guarapuava começou a atender nesta quarta (22) (Foto: Cristina Esteche/RSN)

O Hospital Regional do Centro-Oeste ‘Bernardo Ribas Carli’ já está pronto para receber pacientes com a covid-19. De acordo com o superintendente do Hospital Erasto Gaertner, Adriano Lago, nesta quarta (22) os leitos foram incluídos na Central de Regulação do Estado. Ou seja, desde hoje as 20 vagas da UTI e os outros 60 leitos de enfermaria já estão aptos ao atendimento.

A unidade que foi inaugurada parcialmente pelo governador Ratinho Junior no dia 13 de julho, disponibiliza dois andares que ficarão sob a gestão do Hospital Erasto Gaertner. A segunda fase, com finalização prevista para dezembro, vai disponibilizar mais 10 leitos de UTI e 20 de enfermaria.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, o investimento total por parte do Estado foi de R$ 115,4 milhões. Após a pandemia, a estrutura atuará como referência para Urgência e Emergência. Todavia, o perfil será direcionado à ortopedia e trauma, cirurgia geral e clínica médica, beneficiando vinte municípios da Região. Beto Preto esteve em Guarapuava nesta quarta (22) para a inauguração da primeira etapa do Câncer Center. Foram abertos a ala de quimioterapia e o Instituto do Câncer.

De acordo com a chefe da 5ª Regional de Saúde, Eliane Harmuch, até a tarde desta quarta o HR não tinha recebido nenhum paciente. Conforme Eliane, a partir de agora as vagas destinadas aos pacientes da covid-19, incluindo o Hospital São Vicente passarão a ser reguladas pela Central.

A 5ª Regional de Saúde integra a macrorregional Leste, onde vivem aproximadamente 5,3 milhões de paranaenses ou cerca de 47% da população do Estado. A ocupação dos leitos da macro Leste nesta quarta está em 85%.

NO PARANÁ

O Paraná chegou nesta quarta  (22) a 1.017 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para adultos na rede exclusiva de atendimento contra o novo coronavírus. De acordo com o Governo, a marca de mil foi ultrapassada com a abertura de 20 leitos no Hospital Regional de Guarapuava e seis no Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá, ambos na macrorregional Leste.

A estrutura atual representa aumento de 76,5%em relação ao estoque de antes da pandemia. As UTIs foram montadas em apenas 130 dias e a previsão é alcançar 1.241 leitos em agosto, o que faria o Estado praticamente dobrar a oferta de unidades avançadas no Sistema Único de Saúde (SUS). Todos contam com respiradores, ventiladores e os sistemas de gases.

De acordo com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, em poucos meses foram abertas praticamente a totalidade de leitos de UTI que o Estado disponibilizou para a população nos últimos 30 anos. “É uma conquista que nos ajudou a salvar inúmeras vidas. Todos eles contam com intensivistas, enfermeiros e os melhores equipamentos disponíveis no mercado. É um esforço muito grande para atender a população com dignidade”.

ATENDIMENTO À COVID-19

Conforme a Sesa, destes 1.017 leitos, 194 já existiam e foram remanejados para atendimento exclusivo da covid-19. Outros 817 foram criados em hospitais públicos e filantrópicos credenciados nas quatro macrorregionais de Saúde. Ou em estruturas totalmente novas, casos dos hospitais regionais de Telêmaco Borba, Guarapuava e Ivaiporã. Esses leitos estão distribuídos em 54 unidades médicas de 33 municípios.

O governo também entregou novas alas nos hospitais universitários de Londrina (nova maternidade), Cascavel (ala de queimados), Ponta Grossa e Maringá (clínica para adultos), além de 1.557 leitos de enfermaria, 49 UTIs pediátricas e 70 enfermarias para crianças em todas as regiões do Estado. Os equipamentos ficarão como legado para a saúde pública após a pandemia.

ESTRATÉGIA

A estratégia regionalizada, adotada desde o começo de 2019 para atender o cidadão o mais próximo possível de casa, além de evitar o trânsito de ambulâncias, foi ampliada em 2020 na formatação dessa rede de leitos exclusivos para UTI. De acordo com Beto Preto, a Estado recebeu cerca de R$ 130 milhões dos outros Poderes. Além de aportar recursos próprios com prioridade de investimento em estruturas permanentes já consolidadas nos municípios. Essa foi a opção, em vez de abrir hospitais de campanha, que têm caráter temporário.

Em 22 de abril, por exemplo, a Secretaria Estadual da Saúde já havia contratado 532 leitos de UTI para adultos e 1.075 leitos de enfermaria. Porém, emm 22 de maio eram 564 de UTI e 1.080 de enfermaria. E em 22 de junho 749 de UTI e 1.171 de enfermaria.

Assim, nos últimos 30 dias houve aumento de 268 leitos de UTI e 386 de enfermaria. Conforme Beto Preto, na segunda (27) serão entregues mais 14 leitos de enfermaria no Centro Hospitalar de Reabilitação, em Curitiba.

“Atuamos para expandir o quanto podemos, dentro do equilíbrio necessário e de um cronograma de investimento que levou em conta todas as dificuldades para comprar equipamentos e contratar as equipes. Conseguimos manter ao longo de todo esse período a ocupação dos leitos dentro de um patamar controlável, atendendo todos os pacientes. Mas esses recursos são finitos e precisamos da colaboração da população para evitar a ampliação do contágio”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

Relacionadas

DEU RUIM

Ladrão é preso após tentar furtar Centro Universitário em Guarapuava

UTILIDADE PÚBLICA

Energisa divulga desligamento programado para Guarapuava

ELEIÇÕES 2020

Burko continua em campanha, diz assessoria jurídica da coligação

Comentários