Mais de 11 mil pessoas de alto padrão de renda receberam Auxílio

Constatação feita pela CGU por meio de cruzamento de dados permitiu ao Ministério da Cidadania bloquear parcelas futuras de pagamento do benefício

Constatação feita por meio de cruzamento de dados permitiu bloquear parcelas futuras (Foto: Reprodução/Agência Brasil)

Em um cruzamento de dados feito pela Controladoria-Geral da União (CGU) foi identificado que 11.678 mil pessoas no Estado do Paraná, com indícios de alto padrão de vida, receberam o Auxílio Emergencial do Governo federal. Assim, contrariando as regras da Lei nº 13.982/20, que estabelece o benefício para trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados diante da crise causada pela pandemia da covid-19.

Dessa maneira, com os dados, foram identificados donos de embarcações, carros de luxo, sócios de empresas de médio e grande porte, pessoas que doaram valores acima de R$ 10 mil para campanha eleitoral em 2018 e brasileiros residentes no exterior que informaram residir no Paraná que receberam o auxílio indevido.

Assim, os pagamentos futuros do benefício vão ser bloqueados pela Controladoria-Geral do Estado do Paraná (CGE/PR) em parceria com a CGU. Com isso, o trabalho é feito para acionar as pessoas que receberam o benefício de forma indevida para que elas façam a devolução dos recursos pagos.

INVESTIGAÇÕES

A investigação para identificar fraudes ou erros no auxílio é feita por meio de cruzamento de informações da base de dados do benefício, fornecida pelo Ministério da Cidadania, com diversas outras bases de dados disponíveis no Governo Federal.

Mas é importante reforçar que, pela forma de operacionalização do benefício, é possível que essas pessoas não tenham feito solicitação para o recebimento, mas que tenham sido incluídos como beneficiários do Auxílio Emergencial de forma automática por estarem no Cadastro Único. Além disso, há a possibilidade de que o CPF tenha sido inserido como solicitante do auxílio de forma indevida por outra pessoa.

RECEBIMENTO INDEVIDO E DEVOLUÇÃO

Caso a pessoa tenha suspeita de que os dados foram utilizados por terceiros, pode verificar se isso realmente ocorreu. Então, basta acessar o site de consulta e conferir. Uma vez confirmado o uso irregular dos dados é importante a formalização de um Boletim de Ocorrência (BO) na Polícia Civil. Há a orientação para que a denúncia também seja registrada no FalaBR.

A pessoa que tenha recebido pagamento indevido, ciente da não elegibilidade ao Auxílio Emergencial, pode providenciar a devolução, acessando o endereço eletrônico. Basta inserir o CPF do beneficiário que deseja fazer o retorno do dinheiro e escolher a opção que for mais conveniente.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

CONFIRMADO!

Bolsonaro testa positivo para covid-19 nesta terça (7)

ENSINO SUPERIOR

Inscrições para o Sisu começam nesta terça (7)

SORTEIO

Nota Paraná vai sortear R$ 25 milhões em dois meses

Comentários