Manancial que abastece Guarapuava terá investimento de R$ 2,7 milhões

A recuperação da bacia hidrográfica do Rio das Pedras sem Guarapuava tem recurso do Ministério da Justiça. Coleta de lixo tem recurso do Meio Ambiente

Cesar Filho, Celso Araújo, Itacir Vezzaro e Ademir Fabiane (Foto: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

*Reportagem com vídeo

A proteção e recuperação de áreas da bacia hidrográfica do Rio das Pedras é uma das prioridades da administração municipal de Guarapuava. Alia-se a esse projeto a ampliação da coleta seletiva do lixo. Assim, para a viabilidade desses dois projetos o município conquistou cerca de R$ 8 milhões de recursos do Governo Federal, nos ministérios da Justiça e do Meio Ambiente.

Desse valor, cerca de R$ 2,7 milhões serão para a bacia do Rio das Pedras e outros R$ 4,9 milhões para a coleta de resíduos sólidos. Este foi o maior valor destinado para as cidades do Paraná. Conforme as informações, Guarapuava concorreu em edital do Ministério da Justiça com outras 1.300 propostas. Destas, apenas 71 foram selecionadas Entre as Prefeituras que participaram, Guarapuava foi a cidade que obteve a melhor nota, somando 85 pontos.

De acordo com o prefeito Cesar Silvestri Filho (Podemos), são investimentos que permitem a implementação de projetos novos. “Serão um grande diferencial na questão ambiental do município, pois são um marco para a sustentabilidade, modernidade e qualidade de vida para as futuras gerações”.

BACIA DO RIO DAS PEDRAS

Rio das Pedras (Foto: Mapio)

Principal manancial de abastecimento de água da cidade, a bacia do Rio das Pedras, segundo pesquisas das acadêmicas Patrícia Ferreti Teodoro, Ariodari Francisco Santos, tem sofrido ao longo do tempo impactos provocados principalmente pela população ribeirinha, indústrias, trânsito da BR-277. Além de atividades agropecuárias, exploração de madeiras, piscicultura, turismo ecológico, e chácaras.

Entretanto, para recompor o manancial, a administração municipal vai investir R$ 2,7 milhões. Esse valor será convertido na readequação de cinco quilômetros de estradas rurais, proteção de nascentes, recuperação de 100 hectares de áreas de preservação e ações de educação ambiental em escolas e na comunidade rural.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Celso Araújo, o projeto chamado de ‘Águas da Serra’, elaborado em parceria com a Unicentro, atingiu a melhor nota no Paraná. “Temos uma riqueza singular em Guarapuava que é a qualidade da nossa água. Cuidar desse manancial é assegurar o crescimento da cidade de forma saudável, é permitir que ela possa continuar se desenvolvendo com um bem essencial para a vida bem preservado”.

“Esta parceria com a Prefeitura tem funcionado pois são duas instituições que trabalham em benefício da população, pensando nas gerações futuras. As ações do Águas da Serra garantirão a saúde econômica, social e pessoal de Guarapuava”, reforçou o professor e membro do Conselho Municipal de Meio Ambiente, Maurício Camargo Filho.

COLETA SELETIVA DO LIXO

Coleta seletiva do lixo (Foto: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

Já o segundo projeto, relacionado a coleta de resíduos sólidos, irá contar com a ampliação da coleta seletiva semanalmente e com dois turnos. O projeto foi submetido ao Ministério do Meio Ambiente, buscando aprimorar o tratamento do lixo na cidade. Foi selecionado entre outros 1.100 de todo o país.

Entre as cinco cidades do Paraná contempladas, Guarapuava recebeu R$ 4,9 milhões, sendo o maior recurso destinado para as cidades paranaenses. Conforme Celso Araújo, secretário do Meio Ambiente, a gestão do lixo no município será aprimorada.

Assim, serão comprados oito caminhões compactadores novos, três caminhões baú, triturador de podas de árvore, balança para a pesagem de material reciclável. Além do material de divulgação para ações de educação ambiental nas escolas e também com a população. Veja o vídeo produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Prefeitura.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

'Live' de Roberto Kuster vai arrecadar para duas entidades de Guarapuava

SOLIDARIEDADE

Decker Advogados Associados arrecada roupas e agasalhos

REFLEXO

Pesquisa mostra que pandemia fez número de casamentos cair até 61%

Comentários