Moradores organizam manifesto por vítimas da BR-277 em Guarapuava

Manifestação pacífica será às 18h30 no cruzamento onde Junior e a filha Lara morreram

Alguns políticos disseram que nos ajudariam, mas não ajudaram. E nós acabamos perdendo os dois, está sendo muito difícil, muito complicado. Nossa família está abalada, desestruturada. Estamos ainda anestesiados. Agora que estamos sentindo esse choque de realidade.

Junior e a filha Lara (Foto: Arquivo Familiar)

Acordando deste pesadelo, e em luto pela tragédia que assolou a família, Luan, irmão de Junior e tio da pequena Lara, está organizando uma manifestação nesta sexta (10) no trevo de acesso aos bairros Industrial Xarquinho e Vila Carli, na BR-277 em Guarapuava.

O protesto pacífico começa às 18h30 e deve se estender até às 19h20, no local onde Junior de Oliveira, de 30 anos e a filha Lara Emanuelly Lima de Oliveira, de 1 ano, perderam a vida na noite da última sexta (3) em um acidente envolvendo o carro da família e um caminhão.

(Foto: Ascom/PRF)

Eles estavam em um veículo que ficou completamente destruído com o impacto da batida. O acidente aconteceu no momento em que o jogador da Aprovale faria o cruzamento da rodovia. Além de Junior e da filha Lara, estavam no carro, a mulher dele a Lindair, conhecida como Linda, a filha Valentina de quatro anos, e duas sobrinhas. Todas ficaram feridas, a sobrinha mais velha, segue internada em Guarapuava e teve que passar por cirurgia. As outras vítimas, se recuperam em casa.

A esposa Lindair se recupera em casa (Foto: Arquivo Familiar)

Além da filha Valentina, Junior deixou outra filha de oito anos do primeiro casamento. Segundo Luan Diego Carneiro, irmão de Junior, a manifestação por todas as vítimas que perderam a vida nesse trecho da BR-277 em Guarapuava não será com bloqueio da rodovia.

Será uma manifestação pacífica, vamos ocupar apenas as margens da BR. Mandamos um ofício para a Polícia Rodoviária federal, pedindo segurança. Não vamos queimar pneus nem nada. Vamos fazer faixas e lembrar uma semana de morte do Junior e da Lara. Se não fizermos nada, ninguém se mexe.

(Foto: Arquivo Familiar)

Segundo o organizador, até agora mais de 100 pessoas já confirmaram presença no manifesto que terá a concentração ao lado da BR, no acesso ao bairro Industrial Xarquinho – ao lado do antigo Café Damasco – como é conhecido. “Logo após, participaremos da missa de 7º Dia do Junior e da Lara, na Paróquia Dom Bosco na Vila Carli”.

De acordo com Luan, a luta por melhorias no local é antiga.

“Faz alguns anos que a gente tem feito manifestação no Facebook. Eu trabalhei numa quadra de futebol ali próximo, no Bola 7. E via o risco que a gente corria diariamente. Foram vários acidentes com mortes e sustos com meus clientes da quadra. Quando começaram as obras das marginais, esperávamos que o sofrimento seria resolvido”.

Local do acidente (Foto: Arquivo Familiar)

Mas de acordo com  ele, não foi isso que aconteceu.

Fizeram uma marginal que acaba num buraco. No horário de almoço e no fim de tarde, fica quase impossível atravessar. A fila é gigante. Ficam 10, 15 carros, ônibus com estudantes no acostamento tentando atravessar. E quanta coisa que a gente vê que os motoristas fazem de errado. É completamente confuso. Não tem sinalização nenhuma, ninguém sabe por onde entra e por onde sai. Colocaram umas barreiras faz cerca de um ano. Estão encostadas ao lado da pista. E não terminaram as obras. Ficou ainda mais perigoso do que era antes.

Os protestos pela construção de uma trincheira no local começaram anos atrás. No dia 15 de outubro de 2018, dia do aniversário de Junior, o irmão Luan fez fotos do local e as publicou com um texto no Facebook, cobrando explicações para o “término das obras’. Ele já fazia um alerta revoltado para o perigo que colava em risco a vida das pessoas no local.

Postagens feitas por Luan no Facebook em outubro de 2018 alertavam para risco de acidentes e mortes no local (Imagem: Arquivo Familiar)

Luan é morador da Vila Carli, mas disse que a maioria dos familiares mora no Jardim Primavera. De acordo com ele, muitas pessoas de várias Regiões da cidade e que utilizam o local vão participar da manifestação.

Os amigos do meu irmão, que são jogadores de futebol amador estarão lá, e estamos compartilhando o evento no Facebook, para que mais pessoas participem. O padre João Rocha do Santuário Divina Ternura vai participar conosco da manifestação, porque está indignado com tantas mortes.

A irmã Valentina que se recupera do acidente e Lara, que não resistiu aos ferimentos (Foto: Arquivo Familiar)

“A gente sabe da revolta dos moradores ali que precisam passar diariamente por ali, já que o outro acesso do bairro Industrial Xarquinho fica em frente ao shopping e é longe. Mas de 500 carros passam por esse acesso do Xarquinho. E essas obras que aparentemente não foram concluídas só atrapalharam”, concluiu Luan.

O Portal RSN entrou em contato com a Concessionária Ecocataratas que administra o trecho, mas não obteve resposta sobre as dúvidas levantadas pelos familiares na reportagem a respeito das obras no local. Nesta terça (7) a deputada estadual Cristina Silvestri (Cidadania) pediu ao governo do estado, a construção de uma trincheira na BR-277, onde pai e filha morreram.

Relacionadas

LUTO

Morre Juliano Brandalise. Corpo está no IML em Guarapuava

PRISÕES POR TRÁFICO

Polícia Militar prende três por tráfico de drogas em Guarapuava

INSCRIÇÕES ABERTAS

Vestibular PAC da Unicentro segue com inscrições abertas

Comentários