Números do Novo Caged refletem recuperação da economia

De acordo com o Novo Caged, pelo terceiro mês consecutivo, Guarapuava e o Paraná registram saldo positivo nas vagas de trabalho

Números do Novo Caged refletem recuperação da economia em Guarapuava (Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília)

Pelo terceiro mês consecutivo, Guarapuava registrou saldo positivo na criação de empregos com carteira assinada no município. Assim, conforme o ‘Novo Caged’ – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o mês de agosto teve 1.400 admissões contra 1.131 demissões. Saldo positivo de 269 postos de trabalho. Em meio à pandemia, os números refletem uma recuperação da economia e do mercado de trabalho.

Depois de encerrar os meses de abril e maio no vermelho, a economia dá sinais de retomada gradual em Guarapuava. Entretanto em junho e julho, o município já tinha registrado mais admissões que demissões. Assim, conforme relatório do Novo Caged por municípios, em agosto o único Setor que fechou o mês em saldo negativo foi o de Serviços, com 12 postos fechados.

Os Setores que impulsionaram positivamente os números foram a Construção Civil com 127 postos abertos, a Indústria com 100 novos postos de trabalho, o Comércio com 45 vagas e a Agropecuária com nove vagas. E os números também fecharam com saldo positivo pelo terceiro mês consecutivo no Paraná.

PARANÁ

De acordo com o Novo Caged, o Paraná encerrou o mês de agosto com 17 mil novos empregos. E da mesma forma que Guarapuava, teve o terceiro mês seguido de saldo positivo na criação de empregos com carteira assinada. Além disso, o desempenho é o quarto melhor do Brasil.

Assim, conforme a Agência Estadual de Notícias, entre admissões e demissões em agosto, o Paraná conseguiu abrir 17.061 postos de trabalho. Um aumento de 93% em relação a julho, que teve 8.833 vagas. É o melhor desempenho desde o início da pandemia do novo coronavírus.

(Foto: José Fernando Ogura/AEN)

De acordo com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, a evolução dos últimos 90 dias pesquisados pelo órgão nacional reforça a retomada da economia paranaense. Entre junho e agosto o Paraná criou 28.341 vagas, sendo que mais da metade em agosto.

“São números bastante representativos e significativos. Os números mostram que as decisões tomadas pelo Governo do Estado estavam certas, mesmo diante de um cenário de incertezas decorrente da pandemia. A evolução é nítida e esperamos fechar o ano com uma taxa ainda mais robusta”. Ratinho Junior reforçou ainda, que o bom desempenho da economia é fruto também de um cenário atraente para investimentos.

(Foto: José Fernando Ogura/AEN)

Conforme o Novo Caged, o destaque em agosto no Paraná ficou com a Indústria de Transformação. O setor registrou 6.993 empregos criados. Na sequência, destaque para o Comércio (3.914), Serviços (2.843) e Construção Civil (2.678). E ainda, Agricultura (493) e Indústrias de Utilidade Pública (140).

ACUMULADO

No acumulado do ano, porém, o saldo do Paraná ainda é negativo. Enquanto foram contratados 734.771 trabalhadores, outros 751.614 foram dispensados. Os números representam déficit de 16.843 vagas. Ainda assim, é o estado que menos perdeu postos de trabalho no Sul este ano.

Assim, Comércio e Serviços, que foram muito afetados pela crise da covid-19, se reinventaram, e se adaptaram às necessidades de segurança. Por isso, voltaram a contratar.

(Foto Gilson Abreu)

NACIONAL

Os dados do Novo Caged mostram saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada no Brasil pelo segundo mês consecutivo. Em agosto, o saldo positivo ficou em 249.388 novos postos de trabalho. Os números resultam de 1.239.478 admissões e 990.090 desligamentos. Porém, no acumulado do ano, o saldo permanece negativo com 849.387 postos fechados.

Conforme a Agência, os cinco setores de atividade econômica tiveram saldo positivo em agosto. Impulsionado pela Indústria de Transformação, a Indústria liderou a geração de empregos formais. O saldo ficou em 92.893. A Construção registrou 50.489 novos postos. Além disso, o Setor do Comércio encerrou o mês com 49.408. Já o Setor de Serviços teve 45.412 vagas criadas. E por fim, a Agropecuária encerrou agosto com 11.213 novos postos.

O desempenho positivo também ocorreu nas cinco Regiões do Brasil. O Sudeste teve o melhor resultado em termos absolutos, com a criação de 104.702 postos de trabalho formais. Na sequência aparecem Nordeste (62.085) e Sul (42.664). E ainda, Norte (22.272) e Centro-Oeste (17.684).

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

NÚMEROS POSITIVOS

Novo Caged mostra recuperação gradual da economia em Guarapuava

FUTEBOL

Conheça os 10 maiores artilheiros da seleção brasileira de todos os tempos

13º SALÁRIO

Décimo terceiro salário vai injetar 5,4% a menos na economia em 2020

Comentários