Pedágio fica mais barato nas praças da Rodonorte a partir de sábado (27)

Em nota empresa admitiu que foram cometidos atos de corrupção

(Foto: Reprodução/Google Maps)

A concessionária Rodonorte informou na manhã desta terça (23) a redução de 30% no preço dos pedágios que opera no Paraná. A decisão ocorreu após a empresa fechar um acordo de leniência com a força tarefa da Operação Lava Jato. A redução nos preços começa meia-noite do próximo sábado (27) e deve durar pelo menos 12 meses.

A Rodonorte, divulgou uma nota onde “admitiu que foram cometidos atos de corrupção pela concessionária e, por esse motivo, formalmente pede desculpas”. Em nota, o MPF disse que a empresa concordou em pagar R$ 750 milhões em decorrência de ilícitos praticados, dos quais R$ 350 milhões serão utilizados na redução da tarifa para os usuários.

“As obrigações firmadas pela Rodonorte com a força-tarefa da Lava Jato, como apresentar descrição detalhada, documentos e informações sobre infrações e ilícitos de que participou e adotar práticas especiais de ética, integridade e transparência, constam do termo do acordo”, diz o texto do MPF.

De acordo com a Agência Brasil, o desconto valerá para todos os trechos operados pela Rodonorte no Paraná, como a ligação entre Curitiba e Londrina da BR-376, por exemplo, onde os preços atuais para carros variam entre R$ 11,60 e R$ 12,40, a depender da praça de pedágio. Ficaram mais baratos também os trechos operados pela concessionária nas BR-373 e BR-277, bem como na PR-151.

CAMINHOS DO PARANÁ E VIAPAR

As outras duas concessionárias que atuam no Paraná, Caminhos do Paraná e Viapar, também devem reduzir as tarifas. A pedido de procuradores da força-tarefa Lava Jato no Ministério Público Federal no Paraná (MPF/PR) em conjunto com procuradores de Paranavaí, Ponta Grossa, Apucarana e Guarapuava que atuam na Operação Integração, desmembramento da Lava Jato, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) determinou a redução das tarifas cobradas nas praças de pedágio pelas concessionárias Caminhos do Paraná em 25,77% e da Viapar em 19,02%.

Tais percentuais correspondem ao somatório de degraus tarifários obtidos em aditivos recentes que, conforme apurado pelo MPF, foram obtidos mediante pagamento de propina a agentes públicos. As concessionárias Caminhos do Paraná e a Viapar foram procuradas pela redação do Portal RSN e informaram, por meio de assessoria de imprensa, que ainda não foram intimadas pelo Ministério Público e que não irão se pronunciar até que recebem a notificação oficial da justiça.

Íntegra das decisões: Caminhos do Paraná e Viapar.

Relacionadas

BOTA FÉ

Mega-Sena acumulada pode pagar R$ 52 milhões neste sábado

13º SALÁRIO

Décimo terceiro salário vai injetar 5,4% a menos na economia em 2020

CONSTRUÇÃO CIVIL

Construção civil apresenta inflação de 1,69% em outubro, diz FGV

Comentários