Presos cavam buraco e fogem da cadeia pública pelo esgoto

Um fugitivo de 22 anos foi encontrado na rua. Ele disse que cavou o buraco que deu acesso à rede de esgoto e fugiu. O outro está foragido

Presos cavam buraco e fogem da cadeia pública pelo esgoto (Foto: Larissa Ortiz/RSN)

Dois presos fugiram nessa quarta (26) da cadeia pública de Guarapuava. Eles cavaram um buraco e usaram a rede de esgoto para escapar. Conforme o chefe regional das cadeias públicas, Rodrigo Alves Fávaro, um deles de 22 anos foi recapturado. O outro preso de 24 anos permanece foragido. De acordo com a Polícia Militar, por volta das 6h40, uma equipe em patrulhamento pela rua Rio Branco, no bairro Boqueirão encontrou um homem suspeito.

Assim, ao receber voz de abordagem, o suspeito tentou fugir correndo pela rua. O suspeito ainda pulou os muros das residências próximas. Conforme a PM, foi solicitado apoio de outras equipes e após um cerco policial, o homem foi localizado. Aos policiais, o preso afirmou que conseguiu fugir após ter cavado um buraco que dava acesso ao esgoto do pátio do plantão da 14ª SDP.

Além disso, afirmou que por esse motivo estava com as roupas molhadas. Ele relatou também que outro preso também fugiu, mas não soube informar a identificação. Por fim, ele foi encaminhado até a 14ª SDP, para os procedimentos cabíveis.

Guardas prisionais e SOE frustram fuga em massa da Cadeia de Guarapuava (Foto: Depen)

TENTATIVA DE FUGA

Na madrugada de sábado (22), guardas prisionais e agentes da SOE frustraram uma fuga em massa da cadeia. De acordo com a chefia da carceragem, foi descoberto um buraco aberto na galeria A. Conforme informações da chefia da cadeia, um preso envolvido na ação foi identificado e removido para outra unidade prisional. O buraco feito pelos presos dava acesso ao pátio da Delegacia de Polícia Civil.

Além disso, na madrugada do dia 6 de julho, 16 presos fugiram da carceragem durante a madrugada. Os presos usaram uma pequena abertura feita na parede. As tentativas e fugas já se tornaram rotineiras na cadeia. Uma das principais causas é a superlotação. No lugar construído para abrigar 160 presos, segundo informações policiais, existem cerca de 450 presos.

Além disso, no dia 28 de janeiro houve a primeira fuga quando 12 presos saíram por um buraco cavado na parede da Ala B, permitindo o acesso ao telhado, de onde pularam até o Instituto Médico Legal (IML) e de lá foram às ruas. Durante a fuga, presos furtaram um veículo Santana, placas MAB-5792. Antes, porém, um preso por falta do pagamento de pensão alimentícia também fugiu pela porta da cozinha. Em seguida, no dia 2 de abril houve início de um motim, impedido por policiais civis e militares.

MORTES E CASA DE CUSTÓDIA

No dia 19 de agosto, a cadeia pública de Guarapuava registrou a quinta morte de detento neste ano. Assim, o caos instalado na carceragem está longe de terminar. Com estrutura precária, superlotação e problemas estruturais o estabelecimento prisional se tornou uma bomba relógio no Centro de Guarapuava.

Em meio a essa crise instalada na cadeia, um impasse judicial a cerca da doação de um terreno para a construção da nova Casa de Custódia, adiou o início das obras da unidade prisional, para 2022. Conforme informações, o recurso viabilizado pelo Governo do Estado ao município teria sido perdido devido a morosidade do processo de doação do local.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

BALANÇO

Setembro mantém tendência de queda casos de covid-19 em Guarapuava

BOM SINAL

Números do Novo Caged refletem recuperação da economia

NEM É VERÃO

Temperaturas superiores a 30ºC devem ser registradas em Guarapuava

Comentários