Projeto colaborativo incentiva o turismo no município de Turvo

Projeto Gralha Azul indica locais, aventuras e culinária ofericidos pela terra dos pinheirais

*Conteúdo publicado originalmente na revista Descubra Guarapuava.

Cachoeira da Rota da Rocha Talhada, onde o turista pode participar do Aquatrekking (Foto: Projeto Gralha Azul)

Texto por Cristina Esteche 

Bem pertinho de Guarapuava, a cerca de 40 minutos de viagem pela PR-466, é possível viver uma aventura ímpar e conhecer comunidades tradicionais, caminhar por trilhas, descer o rio no boia cross, fazer rapel, se deliciar com um banho de cachoeira. Essas, porém, são algumas das opções ofertadas por um projeto colaborativo.

Localizado na região central do Estado do Paraná, o município de Turvo possui uma das maiores reservas nativas de Pinheiro do Paraná (Araucaria angustifolia) e um dos mais belos poentes da região.

A natureza exuberante e os atores que habitam, principalmente o interior do município, levou um grupo de jovens a desenvolver um projeto coletivo de turismo sustentável. De acordo com o publicitário Maurício Pilati, que compõe o projeto Gralha Azul, partindo de uma iniciativa sustentável e ecológica, o projeto se desenvolveu por meio do trabalho colaborativo entre parceiros, apoiadores e amigos.

Mais do que um bom relacionamento, o grupo cultiva uma rede de parceria e amizade com mais de 30 famílias do meio rural. São agricultores, familiares, quilombolas, indígenas, holandeses que se unem numa iniciativa inédita para promover o turismo.

Com alma turvense e espírito aventureiro, o projeto busca valorizar as pequenas propriedades e incentivar a preservação ambiental, gerando renda complementar às pessoas do campo.

Nos caminhos da natureza, os participantes podem desfrutar do Esportes de Aventura, com Rapel, Boia Cross, Aquatrekking e Voo de Paratrike. Já no Etnoturismo, inclui-se visitação à Comunidade Quilombola, apreciação histórica no Sítio Arqueológico Marrecas (reserva indígena), viagem ao passado da região no museu Casa Gabriel e Luiza Pilati e jornada através da Cultura Indígena Guarani pelo Caminho da Terra Sem Males – Yvy Maraê’y.

Família participando do Boia Cross, na Rota da Pedra Furada (Foto: Projeto Gralha Azul)

A Caminhada oferece trilhas de níveis variados para contemplação da natureza e aspectos culturais. Para quem curte andar de bike é possível percorrer caminhos através das belezas da região, como magníficas cachoeiras em áreas de mata nativa preservada. Outra dica é o passeio a cavalo ou de carroça.

As delícias da culinária caipira apresentam uma variedade de tradições com Café Tropeiro, Almoço Quilombola, Almoço Rural Orgânico, Culinária Holandesa, Lanche Rural Ucraniano e Culinária Guarani.

E para quem deseja mergulhar fundo nessa liberdade em contato com a natureza, a aventura do camping, o aconchego da pousada rural ou o conforto do hotel, estão a disposição.

A culinária indígena pode ser provada durante o passeio pelo Caminho da Terra Sem Males – Yvy Maraê’y (Foto: Projeto Gralha Azul)

Relacionadas

RANKING

Produtor de Guarapuava é premiado em "Oscar" da raça Nelore

SORTE

Prêmio da Mega-Sena acumula e vai a R$ 25 milhões

CAMPANHA

Para realizar o sonho de casar, casal guarapuavano está vendendo empadas e cupcakes

Comentários