Projeto da Energisa beneficia clientes de Guarapuava em 2019

De acordo com a empresa, o Projeto 'Nossa Energia' atendeu 500 alunos e trocou mais de 800 lâmpadas de famílias cadastradas na Tarifa Social

Projeto da Energisa beneficiou centenas de clientes de Guarapuava em 2019. Entre as ações, houve apresentação teatral nas escolas(Foto: Ascom/Energisa)

Estar mais perto da população e oferecer oportunidades de cadastro no benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), com troca de lâmpadas, informações e conhecimento sobre o uso correto e seguro da eletricidade, são os objetivos do Projeto ‘Nossa Energia’.

O projeto é executado pela Energisa Sul-Sudeste há cerca de quatro anos em toda a área de concessão. Em 2019 não foi diferente e a unidade móvel do projeto levou tudo isso e um pouco mais para o município de Guarapuava. De acordo com Thiago Peres de Oliveira, especialista em Eficiência Energética da Energisa Sul-Sudeste, 2019 fechou com resultado positivo no projeto.

“Milhares de pessoas foram atendidas em toda nossa área de concessão. Em Guarapuava, por exemplo, 217 clientes foram cadastrados na TSEE e mais de 800 lâmpadas incandescentes ou florescentes foram substituídas por luminárias de LED para a população. As pessoas tiveram acesso a informações importantes que contribuirão para que elas utilizem energia de forma eficiente, podendo economizar e assim diminuir o valor da sua conta de energia no final do mês”.

Ainda conforme Thiago, o projeto levou conhecimento para 500 alunos das escolas municipais e estaduais por meio de 20 palestras. “As atividades envolveram o uso dos experimentos existentes no nosso caminhão e com apresentações teatrais”.

O Nossa Energia faz parte do Programa de Eficiência Energética da distribuidora e segue as normas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Conforme o especialista, em 2020, a iniciativa continuará a percorrer as cidades atendidas pela distribuidora.

“O projeto será retomado a partir de fevereiro com os mesmos objetivos, levar conhecimento, diversão, cultura e alcançar o maior número de clientes com perfil para o cadastro na Tarifa Social”.

Palestra sobre o uso consciente com crianças e adolescentes (Foto: Ascom/Energisa)

Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE)

A tarifa social de energia elétrica (TSEE) é um benefício concedido para quem está com seus dados em dia no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo nacional, indígenas e quilombolas.

Assim, famílias inscritas no Cadastro Único com renda mensal de até três salários mínimos, que tenham portador de doença ou deficiência cujo tratamento necessite o uso continuado de aparelhos que demandem consumo de energia elétrica, ou ainda que receba o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social, também têm direito ao benefício.

A Tarifa Social dá descontos entre 10% e 65% na conta de luz, dependendo da faixa de consumo. Para quem consome até 30 kWh/mês, o desconto é de 65%. Já para a faixa de consumo de 31 a 100 kWh/mês, o desconto é de 40%. De 101 a 220 kWh/mês, o desconto é de 10%. Por fim, quem consome mais de 220 kWh não tem direito ao desconto.

Unidade móvel do projeto (Foto: Ascom/Energisa)

Unidade Móvel do Nossa Energia

O caminhão do projeto é climatizado e completamente adaptado para se transformar em uma espécie de laboratório. Conforme a empresa, o caminhão é equipado com aparelhos de alta tecnologia, e mostram como utilizar a energia elétrica de forma correta.

A lateral do baú do veículo se expande e se transforma em uma sala de aula, com projetor multimídia, incluindo projeções interativas. Além disso, há jogos sobre geração de energia, consumo consciente e experiências. Além disso, o caminhão também é palco para apresentações teatrais.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

AJUDA URGENTE

'Vidas por Vidas' faz rifa solidária para não fechar as portas

TURISMO RELIGIOSO

Caminho da fé: estações da Via Sacra estão em fase final de construção

SONHO REALIZADO

Governo regulamenta terras de pequenos produtores em Candói

Comentários