Projeto Lei Maria da Penha nas Escolas inicia capacitação de alunos, em Guarapuava

Atividades, coordenadas pelo projeto Florescer, visam informar sobre as formas de violência contra a mulher, bem como instruir sobre prevenção e denúncia

Os alunos das escolas municipais de Guarapuava estão participando das oficinas que constituem a terceira e última etapa do projeto “Maria da Penha nas Escolas”, proposto pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres. Nessa fase, a organização e execução das atividades está sendo desenvolvida pelo projeto de extensão da Unicentro intitulado “Florescer – a Comunicação na efetivação de políticas públicas para mulheres”, apoiado pelo programa Universidade Sem Fronteiras (USF), da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (Seti).

Desde o início do mês de agosto, as ações vêm sendo realizadas no ambiente escolar, inicialmente com os professores, e em um segundo momento com os pais, mães e responsáveis pelos alunos, com o intuito de informar sobre as formas de violência contra a mulher, bem como instruir sobre prevenção e denúncia.

Agora com o público infantil, foram propostas atividades de maneira lúdica, com a aplicação de jogos com questionários voltados a temas como os direitos e deveres das crianças, e também, conforme o objetivo do projeto, relativos a questões humanitárias como o combate à violência contra a mulher e a equidade de gênero, raça e classe.

Alunos do terceiro ano do Ensino Básico da Escola Municipal Professora Luiza Pawlina do Amaral em atividade proposta pelo projeto (Foto: Assessoria de Comunicação Unicentro)

De acordo com a professora Ariane Pereira, coordenadora geral do Florescer, as ações nas escolas estão sendo conduzidas de acordo com os princípios da Educomunicação, que busca trabalhar a Comunicação no âmbito escolar, mostrando o papel ativo das crianças como cidadãs na sociedade.

Na última sexta (23) e segunda-feira (26), duas turmas de terceiro ano da Educação Básica da Escola Municipal Professora Luiza Pawlina receberam as ações do projeto. Na próxima sexta-feira (30), acontece a última visita do Florescer. “Depois disso, na próxima semana, nós vamos auxiliar as crianças a produzirem produtos comunicacionais – eles vão escolher o que – que tenham como tema a violência contra a mulher e a equidade”, explica Ariane.

A coordenadora do projeto enfatiza que o intuito é ampliar para outras turmas e escolas no próximo ano. “Também está entre os nossos objetivos a produção de uma espécie de protocolo, acompanhado de todos os materiais que produzimos para as oficinas, para que o projeto posso ser replicado em outros anos e municípios”.

O “Maria da Penha nas Escolas” está sendo desenvolvido pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, Centro de Referência de Atendimento à Mulher em situação de Violência (CRAM) e o Núcleo Maria da Penha (Numape), da Unicentro.

Relacionadas

NOVA 'EXPLOSÃO'

'Explosão da covid-19': Guarapuava confirma 110 casos e a 30ª morte

NÃO ACABOU

5ª Regional perde posto de menor índice de contaminação do PR

LUTO

Diego Maradona morre aos 60 anos em Tigre, na Argentina

Comentários