Rapaz que jogou grade contra policiais é identificado e preso

Curitiba – Policiais prenderam mais um suspeito de envolvimento no quebra-quebra, ocorrido no Estádio Couto Pereira. Ivan Roberson Wolanski de Castro, 20 anos, aparece nas imagens do tumulto, afrontando e jogando uma grade nos policiais que tentavam impedir a invasão do gramado. Ele foi detido na noite de terça-feira (15), em sua casa no bairro Tarumã, por força de mandado de prisão expedido pela Justiça.

A confusão ocorreu no domingo (6), logo depois do término do jogo entre Coritiba e Fluminense, quando vândalos invadiram o gramado e passaram a agredir policiais, árbitros e jogadores. Ivan foi ferido no pescoço e na clavícula, por tiros de bala de borracha. Ele foi levado ao hospital e teve alta em 9 de dezembro. O rapaz irá responder por crimes como formação de quadrilha e invasão de campo.

A polícia divulgou nesta quarta-feira (16), fotografias de torcedores, uniformizados e armados, que foram encontradas no computador de Alan Ribeiro, 27 anos, um dos detidos no sábado (12). Ribeiro aparece armado nas imagens individuais e também com outras pessoas, que estão sendo identificadas e investigadas pela polícia. “As fotos encontradas reforçam a hipótese que alguns dos envolvidos na confusão fazem parte de uma quadrilha, que costuma se reunir com objetivos criminosos”, explicou a delegada Vanessa Alice, do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), responsável pela conclusão do inquérito.

PROVAS – “Tudo isso é mais uma prova que as torcidas organizadas precisam ser extintas. Elas são estruturas apodrecidas que se dedicam à prática de crimes, e, portanto, precisam ser imediatamente extintas para que possam ser revistas juridicamente e, aí sim, criadas de uma maneira que privilegie o torcedor e acabe com o bandido que usa o futebol para praticar seus crimes”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari.

As imagens fazem parte do inquérito que foi finalizado e que foi encaminhado para a Justiça na tarde desta quarta-feira (16). Mesmo com a finalização do inquérito, as investigações continuam para identificar e prender outros envolvidos no tumulto. “A polícia continua recebendo denúncias, inclusive quanto à identificação das pessoas que aparecem nas novas imagens encontradas”, disse a delegada.

Desde o dia do tumulto, 18 pessoas foram presas preventivamente. A polícia pediu a prorrogação das prisões de seis detidos, baseada na gravidade da violência empregada no dia do jogo. As pessoas que comprovadamente faziam parte da organização criminosa e as acusadas de formação de quadrilha, tentativa de homicídio e porte de arma permanecerão presas. Outros detidos que foram indiciados por crimes de menor potencial, como invasão e dano qualificado irão responder em liberdade.

No último sábado (12), foram presos 15 suspeitos, a polícia também interditou a sede da torcida organizada Império Alviverde e apreendeu cerca de meio quilo de maconha, uniformes, fichas cadastrais de torcedores, computadores e materiais que incitam a violência, com referência neonazista, além de quatro armas (uma espingarda calibre 36, um revolver calibre 32, um revolver calibre 38 e uma espingarda de pressão), que foram encontradas na residência de dois suspeitos durante cumprimento de mandados de busca e apreensão.

Fonte: AEN

Relacionadas

PREVENÇÃO

Mega operação vai combater a criminalidade em Guarapuava e Região

BR-376

Acidente com ônibus deixa 19 mortos e 33 feridos no Paraná

MORTE

Ciclista é atropelado e morre na BR-277 em Guarapuava

Comentários