Rodolpho vira réu no caso da morte de dona Filomena, em Guarapuava

Acusado por quatro crimes, Ministério Público pediu que Rodolpho Scherner Neto vá a júri popular

Rodolpho se apresentou à justiça quase 35 horas após o acidente (Foto: RSN)

A Justiça de Guarapuava aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público e Rodolpho Scherner Neto vira réu no caso da morte de Filomena Schepansky, de 70 anos. O atropelamento ocorreu no começo da manhã de 12 de janeiro de 2020 na avenida Moacyr Silvestri. Dona Filó e uma irmã estavam no canteiro da avenida e seguiam à Igreja Santa Terezinha numa celebração de missa.

De acordo com a Justiça, Rodolpho deve ir a júri popular pela denúncia de quatro crimes. A morte de dona Filó foi considerada homicídio com dolo eventual, ou seja, quando o agente, mesmo sem querer efetivamente o resultado, assume o risco de matar. Além disso, pesa sobre ele uma tentativa de homicídio já que o veículo que conduzia pegou de raspão da irmã de Filomena

Responderá também por omissão de socorro e fuga. O MP também pediu que Rodolpho seja levado a júri popular e que seja mantida a prisão preventiva. Ele está preso desde o dia 13 de janeiro, na cadeia pública de Guarapuava, quando se entregou à polícia.

O advogado de defesa de Rodolpho, Alan Quartiero, afirmou ao Portal RSN que “a defesa já imaginava a posição do ministério público, todavia em pedido da família não iremos manifestar a técnica jurídica”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

PROGRAME-SE

Shopping Cidade dos Lagos tem atrações diversificadas neste 'feriadão'

VIOLÊNCIA

Carro, celulares e até chope foram furtados em Guarapuava

VIOLÊNCIA

Homem agride policiais durante abordagem em Guarapuava

Comentários