Secretaria de Saúde alerta sobre cuidados com águas-vivas e caravelas

Na temporada foram registrados 1.469 casos de acidentes no Litoral do Paraná, conforme os dados divulgados pelo Corpo de Bombeiros

Não se deve tocar em águas-vivas e caravelas (Foto: AENPr)

A chegada de temperaturas mais elevadas e a proximidade do Verão atraem cada vez mais pessoas para o Litoral paranaense. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde alerta a população para cuidados em casos de acidentes com águas-vivas e caravelas nesta época.

Não se deve tocar em águas-vivas e caravelas, mesmo que pareçam mortas na areia. Se a pessoa for queimada, deve lavar o local apenas com a água do mar e não esfregar a região atingida. Em seguida, procurar um posto de salva-vidas para colocar vinagre e neutralizar a ação da toxina. Não pode passar água doce e nenhuma outra substância, como bebida alcoólica ou urina.

Águas-vivas e caravelas não atacam as pessoas, os acidentes acontecem quando por algum motivo, encostam-se nos banhistas e, neste momento, liberam substâncias na pele que causam o envenenamento, popularmente conhecido como queimadura.

Na temporada de 2016/2017 o Paraná registrou mais de 27 mil casos de acidentes com esses animais marinhos. No ano seguinte, entre 21 de dezembro a 18 de fevereiro, o número reduziu significativamente para 1.188 casos. Na última temporada, 2018/2019, foram 1.469. Os dados são do Corpo de Bombeiros.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

VIOLÊNCIA CONTRA MULHER

Governo adere à campanha de combate da violência contra a mulher

ALERTA

Meteorologistas preveem formação de novo ciclone extratropical

AÇÃO

Campanha de influencers agita os 2 mil pedidos do site Compre do Produtor

Comentários