Secretaria de Saúde alerta sobre cuidados com águas-vivas e caravelas

Na temporada foram registrados 1.469 casos de acidentes no Litoral do Paraná, conforme os dados divulgados pelo Corpo de Bombeiros

Não se deve tocar em águas-vivas e caravelas (Foto: AENPr)

A chegada de temperaturas mais elevadas e a proximidade do Verão atraem cada vez mais pessoas para o Litoral paranaense. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde alerta a população para cuidados em casos de acidentes com águas-vivas e caravelas nesta época.

Não se deve tocar em águas-vivas e caravelas, mesmo que pareçam mortas na areia. Se a pessoa for queimada, deve lavar o local apenas com a água do mar e não esfregar a região atingida. Em seguida, procurar um posto de salva-vidas para colocar vinagre e neutralizar a ação da toxina. Não pode passar água doce e nenhuma outra substância, como bebida alcoólica ou urina.

Águas-vivas e caravelas não atacam as pessoas, os acidentes acontecem quando por algum motivo, encostam-se nos banhistas e, neste momento, liberam substâncias na pele que causam o envenenamento, popularmente conhecido como queimadura.

Na temporada de 2016/2017 o Paraná registrou mais de 27 mil casos de acidentes com esses animais marinhos. No ano seguinte, entre 21 de dezembro a 18 de fevereiro, o número reduziu significativamente para 1.188 casos. Na última temporada, 2018/2019, foram 1.469. Os dados são do Corpo de Bombeiros.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

SEGUNDA EDIÇÃO

SommerFest Open Air movimenta Entre Rios em fevereiro

OPORTUNIDADE

Profissão de Barbeiro oferece boas oportunidades no mercado de trabalho

ESPORTE

Passeio Ciclístico está com inscrições abertas em Irati

Comentários