Transporte de grãos por ferrovia cresce 128% do Oeste para Paranaguá

O acréscimo levou em consideração os efeitos da pandemia da covid-19, que impacta diretamente em limitação de operações e redução da demanda

Os resultados do primeiro semestre foram apresentados durante uma videoconferência (Foto: AENPr)

A parceria do Governo do Estado por meio da Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A. (Ferroeste), estatal que opera a malha ferroviária entre Cascavel a Guarapuava, e a empresa Rumo Logística, que movimenta as cargas de Guarapuava para Paranaguá, fez com que o volume de grãos transportados na malha ferroviária da Região Oeste do Paraná até o Porto de Paranaguá mais que dobrasse no primeiro semestre deste ano, comparado ao mesmo período de 2019.

De acordo com a Agência Estadual de Notícias, o acréscimo foi de 128%, apesar dos efeitos da pandemia da covid-19 que impacta diretamente em limitação de operações e redução da demanda. Desse modo, assinado em fevereiro de 2020, o Contrato de Operação Específico tem como objetivo ampliar a capacidade de escoamento da safra da Região Oeste pelo ramal ferroviário. Nestes primeiros seis meses, o volume de grãos saltou de 133,2 milhões de toneladas úteis (MTU) para 303 milhões de toneladas.

O governador Ratinho Junior, afirmou que o Governo está propiciando ao setor produtivo do Oeste toda a infraestrutura necessária para dar mais celeridade no escoamento, principalmente de grãos, até o Porto de Paranaguá. “Este acordo com a Rumo foi uma decisão meramente administrativa, sem custos para o Estado. Seis meses depois estamos colhendo os resultados, apesar da pandemia. Os números devem melhorar ainda mais”.

RESULTADO

Além disso, os resultados deste primeiro semestre foram apresentados pelos diretores da Rumo durante uma videoconferência com o chefe da Casa Civil, Guto Silva e com o secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex.

Assim, além do aumento de 128% no volume de grãos, também se destaca o acréscimo de 32% no transporte de fertilizante e de 31% de cimento. Desse modo, o volume total transportado do Oeste até Paranaguá foi 55% maior que no primeiro semestre de 2019. Subiu de 385,8 milhões de toneladas para 598,1.

EFICIÊNCIA NA GESTÃO

Os bons índices do primeiro quadrimestre sucedem o resultado de 2019, primeiro ano fechado em que a Ferroeste deu lucro. Desde 1996, ano em que a operação começou, os resultados financeiros da empresa eram negativos.

A companhia teve lucro operacional de R$ 453 mil (expurgada as depreciações). Além disso, faturamento bruto na casa dos R$ 30,5 milhões. E ainda mais de 1,1 milhão de toneladas de produtos transportados na malha ferroviária que liga Cascavel a Guarapuava.

NOVA FERROVIA

A perspectiva é de um novo traçado com até 1.371 quilômetros de extensão de uma nova ferrovia entre Maracaju (MS) e Cascavel (PR), com a integração do trecho intermodal Foz do Iguaçu-Cascavel.

Assim, a programação contempla linhas Cascavel-Guarapuava-Litoral, cobrindo uma Região estratégica para o país e o continente. A ligação terá mil quilômetros. A ideia é que 50 milhões de toneladas de cargas, entre exportações e importações, sejam transportadas por este ramal.

Por fim, essa modelagem já está em fase de EVTEA. O estudo foi contratado em 2019 pelo Governo do Estado.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

AGRICULTURA

Em 2020, Guarapuava aumentou a área de plantio da cevada em 11%

COMEMORAÇÃO

Site 'Compre do Produtor' lança descontos no Dia da Agricultura Familiar

RELAÇÃO COMERCIAL

Agronegócio pauta encontro de Ratinho Junior com embaixador do Irã

Comentários