‘Máscaras pela Vida’ já entregaram 13 mil máscaras em Guarapuava

O projeto é uma ação conjunta de secretarias municipais que busca promover a saúde, democratizando o acesso a equipamentos de proteção individual

A entrega das máscaras teve início no dia 15 de maio (Foto: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

Costureiras guarapuavanas, que integram o projeto ‘Máscaras Pela Vida’, já confeccionaram e entregaram cerca de 13 mil máscaras na cidade. As unidades são distribuídas para proteção individual da população. A entrega teve início no dia 15 de maio.

De acordo com a Secretaria de Comunicação da prefeitura, o projeto é uma ação conjunta que busca promover a saúde, democratizando o acesso a equipamentos de proteção individual. Além disso, oferece oportunidade de renda para costureiras da cidade, neste momento de pandemia.

A Secom divulgou que a meta é produzir 100 mil máscaras para a população cadastrada nos Centro de Referência da Assistência Social (Cras). Além de profissionais da área da saúde, usuários do transporte coletivo, igrejas, entidades sociais e para servidores públicos.

BENEFICIADOS

O Albergue Noturno Frederico Ozanam é uma destas entidades e recebeu nessa semana um lote de 100 máscaras. As unidades são disponibilizadas para aqueles que chegam ao local e não possuem uma máscara. A assistente social do albergue, Ana Luiza Santos, afirmou que a entrega das unidades, se soma à outras contribuições que a instituição tem recebido neste momento de pandemia.

Ana destacou que o local recebeu doações de produtos de higienização e cuidados pessoais, vindas da sociedade civil e de instituições. Além disso, as máscaras  devem reforçar a proteção contra à Covid-19.

“Oferecer esse material para quem vem até o albergue almoçar ou pernoitar é fundamental, principalmente por se tratar de pessoas mais vulneráveis e com menos condições financeiras. É uma ótima ajuda, já que, devido a rotatividade de pessoas, por vezes, pode faltar material de proteção”.

O projeto é uma ação conjunta de secretarias municipais de Guarapuava (Foto: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

ETAPAS

A Secom destacou que cada etapa do projeto envolve uma das secretarias envolvidas no projeto. A inciativa é das Secretarias Municipais de Políticas Públicas para as Mulheres, Assistência e Desenvolvimento Social e Desenvolvimento Econômico e Inovação

A compra dos materiais, como elástico, fio, tecido e pacote, é feita pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação. A segunda etapa fica por conta da Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres, que contratou as 50 costureiras responsáveis pela produção desses EPIs. Além disso, fiscaliza todo o processo de produção.

Já a distribuição é feita a partir da Secretaria de Assistência Social, através dos cadastros de Cras, do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), e entidades sociais. Além destes locais, as máscaras também são entregues nos terminais de transporte coletivo, ao público na fila da Caixa Econômica, que aguarda o auxílio emergencial, e à população que aguarda nas filas do Programa Comida Boa que, por vezes, está sem o equipamento de proteção.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

TURISMO RELIGIOSO

Caminho da fé: estações da Via Sacra estão em fase final de construção

SONHO REALIZADO

Governo regulamenta terras de pequenos produtores em Candói

SOLIDARIEDADE

Cantor católico faz live beneficente no sábado (18) em Guarapuava

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com