Faciap encaminha documento ao Governo sugerindo medidas

O documento resultou de reunião nessa quinta (26) entre presidentes das associações comerciais. Cledemar Mazochin, de Guarapuava, participou

Faciap envia documento ao governador Ratinho Junior (Foto: Divulgação)

A Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (Faciap), junto com outras entidades do setor produtivo, encaminhou nesta sexta (27), um documento ao governador Carlos Massa Ratinho Junior.

De acordo com a Faciap, são sugestões e reivindicações econômicas diante dos desafios que os empresários têm enfrentado. A causa é o enfrentamento da pandemia causada pelo coronavírus. Conforme a entidade empresarial, o documento resultou de reunião nessa quinta (26) entre presidentes das associações comerciais. Cledemar Mazochin, de Guarapuava, participou.

Segundo o documento, a classe manifesta apoio ao Governo do Estado e solidariedade a toda a sociedade. E deixa claro que é dever de todos “a preservação da saúde e o cumprimento das decisões dos Poderes Executivos”. Assim como as decretações de fechamento do comércio com foco no distanciamento social.

Porém, da mesma forma, coloca que o impacto da paralisação do comércio traz desafios ainda maiores a toda sociedade. Portanto, não somente ao setor produtivo. Assim, pede ao Governo do Paraná, em parceria com os prefeitos, que estude formas de gradualmente permitir o retorno social, produtivo e econômico.

Além disso, sugere 23 medidas que podem contribuir com isso. Assim, em Guarapuava, as medidas para o retorno gradual do comércio serão anunciadas em 6 de abril.

MEDIDAS SUGERIDAS

– Foco em estratégia de quarentena e isolamento para os grupos de risco, liberando parte da força de trabalho para retorno às atividades, priorizando, quando possível, o home office;

– Permitir que as empresas operem com horário ampliado, para evitar aglomerações e possam distribuir os atendimentos;

– Determinar o funcionamento das indústrias, do comércio e de serviços, mesmo que seja em regime de escalas com suas equipes alternadas caso o setor produtivo tenha essa possibilidade (adequando a cada tipo de segmento);

– Determinar que os segmentos de serviços, comércio varejista e atacadista, que mantenham o controle de acesso dos clientes respeitando as distâncias mínimas e fornecendo meios para a higienização dos colaboradores e clientes;

– Fornecer equipamentos de proteção para os colaboradores de vendas, produção e entrega, os quais possam, de alguma forma ter contato com outras pessoas;

– Garantir aos colaboradores que se enquadram no grupo de risco fiquem de quarentena, com subsídio financeiro (garantia de salário) pelo Estado.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

INVESTIMENTO

Construtora Prestes cria vantagens para produtores rurais

RETOMADA DA ECONOMIA

Paraná pode retomar normalidade das atividades econômicas em agosto

MERCADO FINANCEIRO

Dólar cai e bolsa fecha no maior nível em dois meses

Comentários