Gralha Azul volta a atender público local em pequenos grupos

Após um intenso trabalho de preparo para a retomada das atividades, o grupo turvense está atendendo o público local, prezando pela qualidade e segurança

Gralha Azul volta a atender moradores da Região em pequenos grupos (Foto: Divulgação)

Atingido diretamente pela pandemia do coronavírus, o setor do turismo tem se adaptado e se recriado para um novo normal. No início deste ano, esse era um dos setores mais promissores para a economia do país. Entretanto, a covid-19 ocasionou um baque no mundo. Perante a uma queda de 84% no faturamento de todas as empresas voltadas a essa área, o cenário está voltando a abrir espaço para uma retomada no trabalho. E é isso que o grupo turvense Gralha Azul está fazendo, claro, respeitando as medidas de prevenção, protocolos sanitários e decretos de proteção.

É assim, com um triagem em todo o percurso que o grupo voltou a atuar. De acordo com uma das coordenadoras do projeto, Camila Maciel, antes da pessoa participar é feito uma verificação se há algum risco, para confirmar a participação. Nós estamos voltando o atendimento para o nosso público local, com os clientes do entorno do município que já conhecem nosso trabalho. Portanto, ainda não atendemos normalmente como antes”.

O grupo passou cinco meses com todas as atividades interrompidas. A decisão de parar com os roteiros veio junto as primeiras notícias sobre a chegada do coronavírus no país. O primeiro caso de covid-19 confirmado em Turvo ocorreu em 3 de junho, meses depois da Gralha Azul encerrar as atividades, reafirmando o cuidado com o público e com os envolvidos no projeto.

Fotos de 2019 (Foto: Divulgação)

Entretanto, o ensaio para voltar a atuar chegou junto a percepção da importância econômica dos roteiros para as famílias que fazem parte dessa ação, como aponta Camila. “A gente pensou nessas famílias que precisam dessa renda, que é um complemento importante e grande dentro do rendimento delas. Foi assim que começamos a procurar informações para voltar a atuar com muita segurança”.

UMA EQUIPE BEM PREPARADA

Para voltar as atividades os coordenadores do grupo buscaram preparações que contribuíssem com esse retorno. Assim, participaram de formações, cursos, estudaram os protocolos e selos fornecidos pelo Ministério de Turismo e pela política nacional, bem como os estatutos e medidas regionais. A equipe fez um curso disponibilizado pela UniGuairacá ministrado pelo especialista em urgência e emergência, Carlos dos Santos.

(Foto: Divulgação)

De acordo com ele, o intuito é explicar como tomar os devidos cuidados, respeitar as medidas de segurança, entre outras coisas. “O curso foi ministrado para que a equipe tenha um bom retorno, para que saiba como proceder nas atividades que são ao ar livre. Não ser em um local totalmente fechado, já proporciona uma certa redução do risco. No curso, fomos explicando o uso da máscara, higienização para que a volta as atividades seja em segurança”.

Por isso, ao contratar o serviço da Gralha Azul, a pessoa recebe todos os equipamentos de segurança necessários para aproveitar o passeio com cuidado. Segundo Camila, foi nessas formações que se tornou perceptível quais poderiam ser as ações feitas e como se adaptar ao cenário atual. “Fez com que a gente entendesse qual a forma mais correta e segura de agir e de oferecer as atividades. Agora só atendemos a metade da nossa capacidade, repeitando todas as medidas de distanciamento para que tudo seja feito de forma tranquila”.

Recentemente o projeto foi premiado internacionalmente pelo Premio A La Innovación Juvenil Rural. A premiação administrada pela ONU, sendo conhecida internacionalmente. Assim, a Gralha Azul foi vencedora da categoria Geração de Renda.

A COVID-19

O coronavírus acabou atrasando sonhos e metas de todas as pessoas e empresas, com a Gralha Azul não seria diferente. Conforme Camila, o mais difícil da pandemia, além da saudade dos roteiros, é o entrave no crescimento. “Cada mês a gente tinha um novo auge no nosso crescimento do grupo. A pandemia chegou em um momento em que todo mundo queria participar dos roteiros, quando tínhamos grandes pacote vendidos. No entanto, desde o início, o mais importante foi cancelar os pacotes porque não iríamos colocar ninguém em risco”.

Somos uma iniciativa recente e percebemos que a comunidade continua engajada, mesmo com toda essa dificuldade que o mundo todo passa. Nosso público é consciente e ele entendeu essa necessidade desde o início. Nós explicamos para as pessoas o motivo da parada e todo mundo concordou, entendeu. Da mesma maneira, as pessoas entenderam a necessidade da volta, do preparo para o retorno, começar de forma tranquila, ir devagar e fazer tudo do jeito certo. Nossa ideia é, e sempre foi, priorizar a qualidade no atendimento. Por isso, estamos com vagas limitadas, para que os protocolos sanitários exigidos sejam sempre respeitados.

Fotos de 2019 (Foto: Divulgação)

Os interessados podem acompanhar as programações nas redes sociais.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

UTILIDADE PÚBLICA

Energisa divulga desligamento programado para Guarapuava

FAMÍLIAS VULNERÁVEIS

Energisa e Unesco distribuem 420 cestas básicas em Guarapuava

AINDA DÁ TEMPO

Mega-Sena sorteia prêmio acumulado de R$ 38 milhões neste sábado (24)

Comentários