Madeireiros de Guarapuava debatem retomada econômica no PR

Madeireiros participaram de videoconferência nesta segunda (18) com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, numa agenda da FIEP

Madeireiros participaram de videoconferência nesta segunda (18) com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, numa agenda da FIEP (Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

Madeireiros de Guarapuava debateram a retomada econômica com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, nesta segunda (18). Representantes de União da Vitória, Araucária, Telêmaco Borba e Palmas também participaram. A reunião virtual foi organizada pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e pelo líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri.

De acordo com o Governo, durante o encontro foram discutidas estratégias para o período de crise, o aumento da parceria entre as instâncias do Governo do Estado e a iniciativa privada. Além da importância da manutenção das exportações pelos portos do Paraná mesmo durante a pandemia.

MECANISMO PARA ENFRENTAR A CRISE

Os empresários requereram a possibilidade de pagamento parcial das contas de energia com créditos de ICMS, pauta que será estudada pela Secretaria da Fazenda.

Conforme o governador o setor emprega cerca de 84 mil pessoas no Estado e tem mantido o ritmo de produção com base no comércio exterior. Isso depois de uma queda de 70% no consumo no mercado interno nos últimos meses.

O Governo do Estado tem criado mecanismos para amenizar os problemas na saúde e na economia, trabalhando de forma equilibrada para gerar o menor prejuízo possível.

PORTO DE PARANAGUÁ

O governador ressaltou que mesmo durante a pandemia a movimentação nos Portos do Paraná bateu recordes. Conforme Ratinho Junior, o Pátio de Triagem do Porto de Paranaguá recebeu 58.499 caminhões em abril,. Esse número superou em mais de três mil veículos o recorde anterior.

De acordo com Ratinho Junior, abril também marcou a maior movimentação mensal de cargas da história. Em 30 dias foram mais de 5,5 milhões de toneladas de cargas, volume 30,9% maior que o registrado no mesmo mês em 2019.

Ao mesmo tempo a Operação de Contingência à Covid-19 contabilizou mais de 200 mil aferições de temperatura de trabalhadores e caminhoneiros. Todos entraram no Pátio de Triagem ou no Porto de Paranaguá.

“Tivemos esse cuidado com os portos. Inclusive com kits de alimentação para os caminhoneiros e atendimento na área de saúde. Conseguimos fazer com que o Porto de Paranaguá trabalhasse com velocidade normal, uma referência no Brasil para atender a exportação”.

GRUPO DE TRABALHO

O vice-governador Darci Piana também participou do encontro e apresentou o planejamento inicial do Grupo de Trabalho para Coordenação de Ações Estruturantes e Estratégicas para Recuperação, Crescimento e Desenvolvimento do Estado do Paraná. Conforme o vice-governador,  o grupo foi criado para trabalhar a retomada das atividades em parceria com o setor privado.

De acordo com Piana, entre as iniciativas já elencadas está a criação do selo “made in Paraná”. Assim, o selo vai estimular o consumo regional e recuperar as perdas sociais e financeiras provocadas pela interrupção de atividades.

Outra iniciativa é um programa de estímulo aos Arranjos Produtivos Locais (APLs), além do incentivo à geração de emprego a partir da execução de obras públicas e privadas. E ainda o pacote de mais R$ 1,6 bilhão em crédito para obras estruturantes. Outros R$ 600 milhões serão liberados para infraestrutura urbana nos municípios.

“Estamos preparando um trabalho grande com novas iniciativas. E as madeireiras não estão distante desse planejamento. Queremos aumentar a mão de obra, a circulação de renda, a construção de casas populares. Estamos criando esse plano em conjunto com G7”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

BOM SINAL

Números do Novo Caged refletem recuperação da economia

MERCADO DE TRABALHO

Irati registra aumento de 70% na oferta de vagas de trabalho em 120 dias

CUIDADO COM O GOLPE

Receita do Paraná alerta para tentativa de golpe via e-mail

Comentários