Projeto de R$ 2,5 bilhões prevê ampliação de terminal de contêineres

Plano foi apresentado ao governador Carlos Massa Ratinho. Projeto é da empresa Terminal de Contêineres de Paranaguá e deve gerar 10 mil empregos no Litoral

(Foto: Rodrigo Felix Leal)

O governador Carlos Massa Ratinho Junior conheceu esta semana, um projeto elaborado pela empresa Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), que planeja investir cerca de R$ 2,5 bilhões nos próximos anos no Porto de Paranaguá. Assim, a empresa pretende instalar um parque logístico, com capacidade para atender 200 caminhões simultaneamente. Além disso, construir um armazém de 20 mil metros quadrados, linhas férreas e um novo pátio de automóveis.

De acordo com a Agência Estadual de Notícias, fazem parte do projeto apresentado a construção de um novo terminal de fertilizantes e a ampliação da captação de cargas do Paraguai. A expectativa é que as obras gerem 10 mil empregos. Conforme Ratinho Junior, o projeto é importante para a economia do Estado, pois gera mais empregos no Litoral. E ainda contribui para consolidar a meta de transformar o Paraná no principal hub logístico da América do Sul.

Assim, de acordo com o governador, a proposta apresentada amplia o campo de atuação da empresa, que já opera o maior terminal de contêineres do Brasil, com capacidade para movimentar 2,5 milhões de TEUs por ano. Segundo dirigentes da empresa, os novos investimentos vão reduzir o custo operacional para os clientes e atrair mais exportadores do Sul e Sudeste para Paranaguá. O projeto também garante segurança para a movimentação de veículos para as próximas décadas, tornando a operação no Paraná ainda mais atrativa.

MODERNIZAÇÃO

O governador afirmou que o Estado investe em dragagem para aprofundar o calado de Paranaguá, o que possibilita acesso de navios maiores. Ainda conforme Ratinho Junior, os portos paranaenses seguirão recebendo aportes para a modernização das operações nos próximos anos, para acompanhar os investimentos da iniciativa privada.

“O Paraná tem uma parceria de longa data com a TCP e esse aporte que ainda está sendo estudado vai aumentar a capacidade de escoamento da produção brasileira, além de facilitar a integração regional. Estamos constantemente pensando em melhorar a logística e o setor portuário é fundamental dentro dessa estratégia”.

OBRAS

O governador também disse que o Governo do Estado vai investir R$ 600 milhões em obras de infraestrutura no Litoral. O recurso será disponibilizado depois da liberação do financiamento de R$ 1,6 bilhão captado junto a um consórcio de bancos. Ele afirmou ainda que Secretaria da Fazenda estuda modernizações no regime tributário para ampliar a competitividade das empresas que atuam nos portos paranaenses.

De acordo com o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, todo investimento nos portos são bem-vindos. “Nosso dever é proporcionar condições marítimas. Vamos aumentar o calado em Paranaguá. Também conquistamos a autonomia administrativa. O mercado entende que o Porto de Paranaguá ampliou a movimentação e está se modernizando”.

As obras de manutenção continuada da profundidade dos Portos do Paraná reúnem recursos públicos de R$ 403 milhões ao longo dos próximos cinco anos. Além das áreas do Porto de Antonina e dos berços do Porto de Paranaguá, as atividades do programa serão feitas no canal de acesso e bacias de evolução de Paranaguá (áreas Alfa, Bravo e Charlie).

TCP

O TCP administra o maior terminal de contêineres da América do Sul e emprega 1,2 mil pessoas no Litoral. Desde março de 2018, a empresa integra o portfólio da China Merchants Port Holding Company (CMPort), maior operador de portos públicos da China. Desta forma, o portfólio global abrange operações em seis continentes, 26 países e Regiões, e 50 portos. Em 2019 a CMPort movimentou mais de 110 milhões de TEUs.

A empresa também foi responsável pelo projeto executivo da Av. Atílio Fontana, uma das principais vias de acesso ao Porto de Paranaguá, como parte da expansão das atividades no município. O investimento foi de R$ 1 milhão. A doação do projeto facilita o processo de licitação por parte do Governo do Estado.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

GUARAPUAVA

Restaurantes e setor de eventos podem pedir remissão da taxa de alvará

RETORNO

Guarapuava terá mais de R$ 5 bi com a redistribuição do ISSQN

FACILIDADE

Financiamento da casa própria já pode ser feito por app da Caixa Econômica

Comentários